domingo, 25 de janeiro de 2009

Noussnouss



Nome: Alice Bernardo
Cidade: Guimarães, por enquanto...
Blog: nouss-nouss.blogspot.com
Loja online: http://www.noussnouss.com/
Flickr: www.flickr.com/photos/noussnouss




Como descreverias o teu trabalho?

Esquizofrénico? Não, a sério, não faço a mínima ideia de como o descrever, porque vai mudando com o tempo, e também porque não me levo muito a sério como crafter. Talvez o melhor seja dizer que é um divertimento que se tornou parte indispensável da minha vida.



Como é que tudo começou?

Começou com uma vontade de recomeçar a fazer coisas com as minhas mãos porque sempre gostei. Depois aprendi a mexer na máquina de costura porque queria fazer uma guirlanda que, por acaso, (ainda!) não acabei, e achei que uma ferramenta destas havia de ser interessante de explorar. A partir daí perdi-lhe o rasto, mas deve estar tudo documentado no blog...



Como escolheste o nome do teu projecto?

Procurava um nome que me agradasse sem ser demasiado revelador do conteúdo do blog. NoussNouss quer dizer mais-ou-menos, assim-assim e meia-de-leite. É uma expressão marroquina que gravei, como muitas outras, no tempo que passei em Tânger, enquanto o meu pai lá trabalhou. Agradou-me esta palavra por várias razões. Não é propriamente indicativa do tipo de blog que tenho, tem uma sonoridade bonita, suave, e o significado de assim-assim encaixa na perfeição naquilo que é o Noussnouss - um bocadinho disto e daquilo.

Porquê fazer crafts? O que é que te motiva?

Como arquitecta, tive uma formação em que aprendi a materializar as minhas ideias, mas sabendo que nunca o iria fazer sem a intervenção de terceiros. Aqui, agrada-me sentir que sei fazer algo pelas minhas próprias mãos, seja com agulha e linha ou com um berbequim. Saber é poder.



Os crafts são um trabalho a tempo inteiro? O que ocupa os teus dias?

Ocupam parte do meu tempo. Outra parte é ocupada pela arquitectura e outra pela pura procrastinação.

De onde vem a inspiração para os teus trabalhos?

Das coisas que gostava de ter e não encontro. Dos materiais que vou encontrando e apetece utilizar seja como for. Das coisas bonitas do dia-a-dia. Da vontade de fazer algo especificamente para alguém.

Onde é que encontras os materiais para os teus projectos?

Salvo raras excepções, tudo o que uso é produzido em Portugal, seja industrial ou artesanalmente. Em armazéns grandes, lojas pequenas, por artesãos simpáticos... Procuro muito e por todo o lado!



De todo o processo de produção das tuas peças qual é a parte que mais te agrada?

Depende da peça, mas uma das minhas coisas preferidas é acolchoar uma quilt enquanto vejo um bom filme. Chego ao cúmulo de fazer colchas só para ter desculpa para me sentar no sofá a preguiçar… alguém aí precisa de uma quilt quentinha??



Como é que divulgas o teu trabalho?

Através do meu blog, principalmente. Também tenho a sorte de ser visitada por pessoas muito simpáticas, que ajudam na divulgação e às quais agradeço!

A internet tem um papel importante na divulgação do teu projecto?

O papel principal.

O que achas da actual moda do artesanato urbano?

O que considero importante é a forma como restaurou a apreciação do consumidor pelo objecto que é planeado e feito com carinho. Quando a moda passar, espero que fique essa forma de pensar, que nos obriga a reflectir sobre tudo o que se consome com avidez.



Que conselho darias a quem ainda anda à procura do seu próprio estilo nos trabalhos manuais?

Procurar inspiração nos objectos mais insuspeitos e noutras áreas, bem longe dos crafts – a interdisciplinaridade dá sempre frutos. Usar as técnicas tradicionais como meio, e não como fim em si.

Podes partilhar alguns dos teus crafters favoritos?

Já que este é um blog sobre crafters em Portugal, fico-me por três escolhas nacionais: a Maria João Ribeiro, pela bijuteria absolutamente brilhante, a Maria João Arnaud, por todo o seu trabalho, mas principalmente pelos belos tecidos que já tive o prazer de ver ao vivo e a Marta Mourão, porque é difícil encontrar crafters que façam peças de roupa tão bem pensadas e executadas como ela faz.

Quais são os teus sonhos para o futuro?

A curto prazo, solidificar os projectos que «plantei» nos últimos dois anos. A longo prazo, encontrar o ponto estável onde conseguirei conciliar os dois lados opostos, profissionalmente, da minha vida. Coisa pouca, portanto…

8 comentários:

Marta Mourão disse...

O que eu aprecio no trabalho da Alice é principalmente a execução das peças, que é perfeita. Tenho uma mala e um cachecol da Nouss Nouss lindíssimos, quer pelos materiais, quer pelo acabamento. Tudo super bem pensado. (E obrigada Alice, por me mencionares!)

Ikebana disse...

Não conhecia o trabalho da Alice Bernardo mas fiquei fã =D Adorei as malas, são absolutamente maravilhosas! Obrigado por partilhares o teu trabalho! Serei seguidora lol

Fico feliz por ver o blog cada vez + rico com tantos e bons talentos nacionais.

Elsa o teu trabalho está a ser excelente! E nunca é de + dize-lo ;) beijos

Sónia disse...

Não conhecia o trabalho da Alice mas por esta pequena mostra, já fiquei fã!!!
As peças são lindissímas, em especial as malas. Adorei!

flor-de-vento disse...

adoro o trabalho da Alice, o bom gosto e o equilíbrio na escolha dos tecidos e das cores, é simplesmente divinal!

Célia Jordão Alves disse...

Sou super-fã do trabalho desta menina que é excelente. Ainda não tenho nenhuma peça dela, mas um dia hei-de ter. ;-)

Fipas disse...

Adoro o seu trabalho em todos os aspectos, até na maneira como o apresenta, as fotografias são sempre lindas. Sempre que venho espreitar o que gosto já foi vendido, mas não perdi a esperança! Parabéns!

maman xuxudidi disse...

Foi delicioso ler pedaços da personalidade da Alice. É pena não ter falada dos postais e o que gira a volta deles, porque são histórias lindas!

Elsa Fernandes disse...

É bem verdade maman xuxudidi :) Também acho o Vidas de Postal delicioso. Fica o link para quem quiser descobrir mais: http://www.noussnouss.com/vidas-de-postal