domingo, 11 de julho de 2010

Joana Ribeiro



Nome: Joana Ribeiro
Cidade: Leça da Palmeira
Blog: joanaribeirojoalharia.blogspot.com
Flickr: www.flickr.com/joanaribeirobijuterias



Como descreverias o teu trabalho?

Delicado, colorido, único, sentido…



Como é que tudo começou?

Desde pequena que a minha vocação para as artes era visível… especialmente em todas as paredes da casa! Algo que até foi bem aceite pelos meus pais, que procuraram sempre estimular o meu lado criativo. Durante o preparatório nunca tive boas notas a Educação Visual mas, mesmo assim, na altura de escolher o meu futuro, não duvidei e fui para artes. No secundário, gostava de alterar o meu estilo, de fazer brincos compridos e comecei a fazer bijuteria de diversos materiais. O meu fascínio foi sempre pela área de moda e joalharia e, por essa razão, com 16 anos fiz um curso de Verão no CITEX. Todavia, não me senti realmente segura e foi aí que decidi ir para Design de Joalharia e fazer disso o meu futuro. Achei sempre que o mundo da moda seria mais complicado para singrar no nosso país. Contudo, enganei-me redondamente. Infelizmente, em Portugal, design de joalharia é chinês para muitos, especialmente os ourives que não compreendem as nossas funções e vêem-nos como um alvo a abater.



Como escolheste o nome do teu projecto?


Optei pelo meu nome. Talvez pareça um pouco narcisista, mas numa área onde todos procuram um lugar ao sol, é importante que as pessoas conheçam o nosso trabalho e fixem o nosso nome.

Porquê fazer crafts? O que é que te motiva?

Sempre fiz crafts. Fossem livros de recortes infantis com histórias para o meu irmão, fossem os postais de natal para a família… sempre tive a necessidade de «pôr as mãos na massa». É uma forma de mostrar quem sou e do que gosto. Ao mesmo tempo é algo terapêutico. Talvez por isso tenha escolhido uma licenciatura tão prática.


Os crafts são um trabalho a tempo inteiro? O que ocupa os teus dias?

Neste momento, sou estudante de mestrado em Design, no entanto, pretendo fazer futuro com as minhas jóias a tempo inteiro. Ocupo os meus dias com muito design, muita pesquisa para me manter actualizada e para terminar a minha tese. Sempre que saio para um café, procuro revistas de joalharia nacionais e internacionais, de forma a estar sempre a par das tendências.



De onde vem a inspiração para os teus trabalhos?

Depende dos projectos. Na minha colecção «Anellus Naturalis» (vencedora do concurso Jovens Criadores’09 na categoria de Joalharia) inspirei-me na natureza. É uma temática que sempre me fascinou pelas belas formas, únicas e pela variada paleta de cores. Mas quando crio tudo me inspira, seja algo que vi numa revista, seja um quadro, qualquer objecto ou imagem servem de inspiração. Tenho projectos inspirados na comunidade piscatória de Matosinhos, na filigrana portuguesa…



Onde é que encontras os materiais para os teus projectos?

A base das minhas jóias é a prata que compro em lojas especializadas. Os restantes materiais encontro em diversas lojas: tintas metálicas no Maxmat e lojas de brinquedos; as pedras adquiro em casas especializadas; os esmaltes trouxe de Antuérpia, pois foi lá que aprendi a utilizá-los quando fiz Erasmus e os restantes materiais vou recolhendo da natureza.



De todo o processo de produção das tuas peças qual é a parte que mais te agrada?

É quando vejo a minha ideia materializada, ou seja, quando vejo a peça a realmente ganhar forma e a alcançar o objectivo final. Por vezes, passa-se horas e horas a trabalhar numa peça, a desesperar quando algo não corre bem, mas vale a pena quando a vejo ser utilizada por um perfeito estranho.

Como é que divulgas o teu trabalho?

Inicialmente, divulgava através de mailing list, do blog e do «passa a palavra» entre amigos e familiares. No início do ano, aderi ao Facebook e ao Twitter. O Facebook é, neste momento, a ferramenta de divulgação que mais utilizo.



A internet tem um papel importante na divulgação do teu projecto?

Sem dúvida! Todos os contactos que recebo para encomendas, exposições ou lojas surgem através do facebook ou via e-mail.

O que achas da actual moda do artesanato urbano?

É verdade que está na moda, é algo muito mais falado hoje do que era há uns anos, porém, infelizmente nem tudo é positivo. Na minha opinião, existem pessoas que se auto intitulam criadores de artesanato urbano e vendem o que para mim é lixo! Lamentavelmente, muitas pessoas compram peças ditas artesanais, mas que disso pouco têm. Com esta moda, surgiram diversos eventos e mostras, o que é positivo para quem tem talento e precisa de uma oportunidade para o mostrar. Eu procuro participar em vários eventos e mostrar o meu trabalho ao público de todo o país.




Que conselho darias a quem ainda anda à procura do seu próprio estilo nos trabalhos manuais?

Diria que o estilo surge naturalmente. Que procure nunca seguir o estilo dos outros. Deve dedicar-se à sua criatividade por inteiro e seguir o seu caminho com muitas experiências e tentativas.

Podes partilhar alguns dos teus crafters favoritos?

Jóias da Lia: é um estilo de joalharia completamente diferente do meu, que prima pelo minimalismo elegante e diferente. Aprecio também vários crafters que já por aqui passaram!!

Quais são os teus sonhos para o futuro?

O meu sonho é que o estado português finalmente reconheça a minha profissão e altere a lei de atribuição do contraste. Depois deste sonho é que poderei pensar ainda mais alto!

7 comentários:

anapina disse...

Já encomendei um anel à Joana e aguardo-o ansiosamente! Por aí se vê que sou fã :)
Gostei muito da entrevista e acho que a Joana toca num ponto muito importante e que muita gente desconhece... eu própria gostava de aprofundar o meu interesse pela joalharia e apercebi-me desta triste realidade que é a lei da contrastaria actual e o pouco reconhecimento que os jovens artistas desta área recebem por parte do poder instituído - esperemos que mude em breve, para que a joalharia portuguesa, que tem demonstrado ter muita qualidade, chegue mais longe!

MARIA MARIQUITAS disse...

Um trabalho fabuloso!
Parabéns

Abigail Macedo disse...

Já conheço a Joaninha há cerca de 4 anos e sempre apreciei o seu sentido estético e a sua originalidade associada ao grande talento natural que possui e revela nas obras das suas mãos.

miosotiis disse...

Fiz a minha primeira feira ao teu lado, já lá vão quatro anos.

E que traballho fantástico tens feito! ;)*

Ana Caramelo disse...

Já seguia o trabalho da Joana através do blog antes de o ver ao vivo. E que maravilha! As peças são tão delicadas e mimosas, e forma de apresentar e embalar, simplesmente fantástica! Muito sucesso, Joana.

liaG disse...

Simplesmente um trabalho fabuloso.

Joana Ribeiro disse...

Obrigada a todas pelas palavras! É por este tipo de apoio que continuo o meu trabalho e a lutar pelo valor da joalharia de autor!

Agradeço especialmente à Elsa pela oportunidade de mostrar o meu trabalho!

:) beijinhos